• Redação Skyenergy

E-TRON

Atualizado: 12 de jul. de 2020

Hybrid Concept Car.



O Audi e-tron Spyder, não é um carro 100% elétrico, e sim um hídrido plug-in apresentado no Mondial de I´Automobile - Paris Motor Show de 2010. Como uma resposta a baixa autonomia dos modelos puramente elétricos da época, foi cogitada como solução a questão dos rendimentos das baterias conhecidas até então. O Audi e-tron Spyder possui dimensões mais compactas que um Audi R8, com 4,06 m de comprimento, 1,81 m de largura, 1,11 metros de altura e distribuição de peso 50:50.



Com apenas 1.450 kg em uma estrutura ASF*, bateria de lítio de 9,1 kWh, fornecia autonomia de 50 km em modo exclusivamente elétrico a 60 km/h. O modelo híbrido possuía um motor turbo diesel TDI 3.0 L V6 de 300 cv (221 kW) no eixo traseiro, 650 Nm de torque associado a um câmbio de dupla embreagem de 7 velocidades, mais dois motores elétricos de 89 cv (64 kW) no eixo dianteiro de 352 Nm de torque. Sua autonomia conforme a fábrica é de 1.000 km, com aceleração de 0 a 100 km/h em 4,4 s e velocidade máxima de 250 km/h limitado eletronicamente.



Em condições normais, 75% de seu torque é para as rodas traseiras e outros 25% para as rodas dianteiras. Dependendo das necessidades de tração, essa relação varia com a ajuda do ESP - Eletronic Stability Program - controle eletrônico de estabilidade e da vetorização de torque, que juntas, atuam como um diferencial central controlado eletronicamente. O sistema não corrige perda de torque na rodas com menor tração, pelo contrário, traz mais torque pra rodas com maior tração para evitando capotagem.

Graças a esse sistema em conjunto com a vetorização de torque, a Audi acredita que o Audi e-tron Spyder se torna um carro muito mais fácil de ser conduzido. Ainda mais com a sua largura, baixo centro de gravidade e leveza, o sistema de tração nas quatro rodas poderia se chamar quattro, marca registrada da Audi para seus modelos esportivos de tração nas quatro rodas.



Modelos hídridos sempre foram uma questão a serem discutidos. Associar um motor elétrico ao combustão são algo antagônicos, já que um veio para não polui e o outro nunca deixou de emitir CO2. São dois sistema de propulsão e portanto exigem espaços para serem acomodados num mesmo veículo. São duas tecnologias com propostas diferentes. Agora bem que hoje as baterias evoluíram a ponto da Audi não precisar mais se preocupar com a autonomia das baterias, deixando de lado a ideia de lançar o Audi e-tron Spyder que consume 45 km/l de diesel e emite 59 g/km de CO2.



Pelo menos fica aqui as fotos e os vídeos deste belo e criativo projeto de 2010.


*ASF - Audi Space Frame é uma construção leve que combina vários tipos de materiais reforçados com fibra de carbono e alumínio; combinando maior rigidez com baixo peso.


Inspire-se - Skyenergy Vislumbrando um Futuro Eletrizante

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo